Como viabilizar uma pista de skate pública


Skatistas estão sempre buscando novos lugares para andar. O esporte se tornou olímpico, o número de praticantes não para de aumentar, mas o cenário ainda é precário: infelizmente muitas pistas são mal feitas ou mal projetadas! Então muitos querem e precisam realmente de uma pista digna. É por isso que escrevi este post de como viabilizar uma pista de skate pública nos mais diversos cantos do nosso Brasil.

Diferentemente das pistas particulares (pistas de skate no quintal, ou pistas de condomínio) acaba sendo bem mais difícil conquistar uma pista pública…. Mas então como fazer? Qual é a forma mais eficiente de tornar a ideia de uma pista pública realidade? Esse post é para aqueles que tem vontade e muita persistência para buscar apoio e realizar este sonho.

Existem diversos cenários claro, e cada um deles com suas peculiaridades. Mas o comum a todos eles é o envolvimento e a participação de diversas pessoas. Ainda assim, dado o mercado ainda pouco profissionalizado somado ao desconhecimento do esporte pelo poder público e mesmo por empresas de engenharia, são muito comuns pistas mal feitas e muita verba desperdiçada. É muito importante a participação de skatistas em todas as fases, desde a ideia até a entrega da obra.

O primeiro fator importante é uma “pressão política”, o interesse comunitário.

O skate é um esporte muito praticado e os políticos sabem da visibilidade de um empreendimento como uma nova pista pública em sua região. Se você pensa em uma nova pista para sua cidade ou bairro o início é a articulação com os interessados para uma pressão popular em cima de quem pode fazer acontecer, o poder público.

Numa cidade grande o poder mais próximo para essas demandas são as prefeituras regionais (antigas sub-prefeituras, divisões da cidade por distrito) e os vereadores envolvidos com o tema de saúde, esportes e juventude.

Uma dica para essa articulação ter maior representatividade é o uso de uma associação privada, poderia ser alguma associação existente que esteja interessada no assunto do skate, ou então a criação de uma nova associação de skatistas locais.

Associações privadas constituem-se da união de pessoas que se organizam para fins não econômicos* (Art. 53 do Código Civil). São exemplos associações de bairro, associação de moradores (de um loteamento ou condomínio por exemplo), associção de amigos dos animais, APAE, clubes, associação de empresas com interesses em comum e as associações de skatistas. *As associações podem desenvolver atividade econômica, desde que não haja finalidade lucrativa (enunciado 534 do conselho de justiça federal).

O segundo fator tão importante quanto o primeiro é…. projeto!

Assim como nas pistas de condomínio (que comentei lá no início, deste outro texto aqui), há uma questão complicada de viabilização que é: Sem uma verba você não consegue um projeto, e sem um projeto você não consegue a verba pra obra!

Se há um local disponível destinado (preferencialmente em parques – pois neles normalmente existem maiores possibilidades de controle/gestão do espaço além de infraestruturas de apoio), ter um projeto desenhado torna muito mais fácil o convencimento da população pra aquela pressão política… e convencimento dos políticos para liberação da verba.

Como conseguir o projeto antes de ter a verba da execução da obra? Quando arquitetos se dispõem a doar um projeto – seja por interesse em usufruir o espaço, seja por divulgação, caridade etc – é ótimo. Porém esta é atividade que estes profissionais exercem para subsistência, então não é correto pensar que toda pista pública bem feita deva partir de uma doação, certo? Ainda mais que o custo de projeto é muito pequeno com relação ao custo da obra, variando de 5% a 12% do valor da mesma. Quer saber o quanto custará aproximadamente a obra toda? Veja este post.

Outro detalhe que o ideal sempre para qualquer obra é ter um projeto executivo, mas nos casos onde isso não é viável, é interessante buscar algum apoio para que ao menos um estudo preliminar ou projeto básico seja apresentado nessa fase inicial, e então um projeto executivo seja posteriormente desenvolvido ou licitado pelo poder público. Essa é uma forma da idéia de pista nascer mais embasada, de acordo com o potencial do lugar e com o sonho dos skatistas.

Outra forma de conseguir esse projeto ou apoio é com incentivo financeiro por parte de empresas envolvidas com o esporte. Este tipo de iniciativa já ocorre em melhorias de espaços públicos, atividades e eventos dos mais variados tipos. O mais importante nesse caso é a transparência nas ações.

Por último é: insistência e acompanhamento por quem entende do assunto

Legal, já temos um espaço disponível e intenção de criar uma pista… Temos apoio e conseguimos um projeto….. Temos a articulação dos interessados junto ao poder público. E agora o que pode dar errado? Tudo. É importantíssimo, pressão, participação em todas as etapas até a finalização das obras. Todas as possíveis reuniões e ações públicas, orçamentação, aprovações de emendas e contas municipais, licitação, contrato com a empresa vencedora (que deve ter experiência com skate)… É preciso realmente muita insistência.

O desenvolvimento do projeto executivo deve de ser acompanhado por skatistas que entendem do assunto, principalmente se ele for terceirizado, licitado com as obras! Conseguir a correta orçamentação da obra e liberação de verbas pelas secretarias ou por emendas parlamentares também é importantíssimo. Se ocorrer uma licitação, os interessados devem acompanhar de perto quem venceu e garantir que seja um empresa especializada. E ainda sim, por fim, durante a obra garantir que tudo que foi acordado seja cumprido. Não é mole não!

Alguns exemplos bem sucedidos:

Vou citar casos bem sucedidos que mostram como a movimentação de skatistas podem realmente mudar o cenário de pistas de skate no país:

Associação de Skate do Parque Chuvisco – ASPC

A maior e mais recente pista de skate de São Paulo foi fruto de muita luta. É um baita orgulho pra galera de Sampa. Todo o processo e as questões atuais de funcionamento, gestão, eventos pode ser conferida nas redes sociais deles: www.facebook.com/pistadochuvisco/ e www.instagram.com/pistadochuvisco/

Associação Overall Skateboard

O “timing” perfeito entre iniciativa pública, uma empresa especializada encarregada da construção e a importantíssima movimentação dos skatistas locais que adotaram a causa acompanhando tudo de perto. Confira o insta deles: www.instagram.com/aosktboarding

ASKM-Associação dos Skatistas de Maringá

Uma iniciativa de peso, que existe desde 2001. Graças a eles que foi conseguida a revitalização da Praça Pedro Alvares Cabral (Famoso ‘Banks’) e agora estão lutando pela continuidade/conclusão da pista da vila olímpica, com obra iniciada e parada.

Não é fácil, mas unidos somos fortes. Conhece outras histórias de sucesso? Tem uma iniciativa sua em que está empenhado? Conte para nós!

Go Skateboard!


Written By
More from Fabio Lanfer

Universidade Livre do Meio Ambiente – Arq. Domingos Bongestabs

Se você vai a Curitiba deveria (na minha opinião) visitar esse lugar....
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *