Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza


O projeto do museu Iberê Camargo rapidamente se tornou ícone da capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. http://www.iberecamargo.org.br/ 

O projeto é do consagrado arquiteto Álvaro Joaquim Melo Siza Vieira, e foi coroado em 2002 com o Leão de Ouro da 8ª Bienal de Arquitetura de Veneza , no mesmo ano em que se iniciou a construção.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Na beira do Rio Guaíba, o terreno tem uma localização privilegiada: natureza exuberante e facilidade de acesso. A espetacular vista para o por do sol atrai moradores e turistas para o café que fica no térreo do edifício, aberto para a rua.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Seu projeto arrojado, com rampas em balanço, o tornam uma escultura posicionada entre a encosta e o rio. A implantação cuidadosa escondeu o estacionamento no subsolo, mesmo com a dificuldade técnica de estar próximo ao rio.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Estando lá (com um olhar crítico urbanista) fiquei imaginando uma conectividade maior com a cidade através de um porto fluvial logo em frente, que poderia unir diversos pontos de interesse ao longo da orla e o centro. Uma potencialidade que Porto Alegre deveria tirar proveito. Quem sabe um dia.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Com um acervo de arte contemporânea que instiga a interatividade, o museu tem um caráter dinâmico na sua espacialidade interna, tanto no percurso como nas visuais.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

De uma forma sutil, esta característica não interfere na percepção das obras mais autônomas, ou as vezes permite relações espaciais diversas nas mais interativas.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Por dentro do museu o percurso é fluido e tem pontuada vistas para o exterior nas estratégicas aberturas.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

O material utilizado externamente é o concreto armado branco, que confere ao prédio uma característica especial. É uma inovação que tem sido utilizada em diversas obras pelo mundo afora, como por exemplo na Casa da Música, projeto do Reem Koolhass na cidade do Porto.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Embora o concreto branco exija um cuidado especial na execução (no que diz respeito ao recobrimento da armadura, nas formas utilizadas e no preenchimento das juntas para que se evitem manchas), é um material durável e de baixa manutenção. A tendência é que seja cada vez mais utilizado.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

O novo museu sede veio coroar a atuação da Fundação Iberê Camargo com sua inauguração em 2008.

Museu Iberê Camargo – Arq. Álvaro Siza

Existente desde 1988, a instituição funcionava na casa do artista (que era também seu atelier), na zona sul de Porto Alegre. Agora instiga ainda mais a visita. Concordam?


Escrito por
More from Fabio Lanfer

03 – Fôrmas e Concretagem das Fundações

Com as armaduras posicionadas conforme a postagem anterior e a caixaria montada começa-se a...
Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *