Museo de la Memoria y Derechos Humanos – Estúdio América


Este é um lugar que eu tinha ansiedade de visitar desde a inauguração, por ter acompanhado um pouco da história do projeto na sua participação no concurso e no posterior desenvolvimento como projeto executivo. É de autoria de dois dos meus professores de faculdade e de alguns bons colegas que participaram como colaboradores (projeto de Mario Figueroa e Lucas Fehr, juntamente com Carlos Dias – titulares do escritório ‘coletivo de arquitetura’ estudio america).
O Projeto do ‘Museo de La memoria y Derechos Humanos‘ no Chile consiste de uma volumetria simples, uma barra ou “uma caixa de sapato” (conforme relatou minha namorada em sua primeira impressão à distância), mas na medida em que se percorre o espaço somos surpreendidos com uma bela articulação entre edifício e praça enterrada. Muito interessante; um convite à prosseguir explorando tal espaço.
 
O conjunto do museu possui inclusive um acesso por dentro da estação de metrô com uma galeria de exposição independente. A respectiva estação se chama “Quinta Normal”, que também é o nome da comuna onde fica localizada (o território da Região Metropolitana de Santiago está organizado basicamente em províncias e comunas).
 *Gosta de museus impressionantes? LEIA TAMBÉM:  Museu Iberê Camargo em Porto Alegre – Arq. Álvaro Siza
A estrutura reticulada deste projeto é também muito impressionante. Resolvida de forma a elevar o bloco da praça, os pavimentos funcionam como vigas metálicas vierendeel (suas vigas e pilares são barras de uma viga maior, que sustenta o bloco todo do edifício) apoiadas nas empenas laterais que, assim como o embasamento, são de concreto.
 Outro artifício bem utilizado é a elevação do prédio (do seu piso térreo em relação ao nível da rua, sendo que a praça está no subsolo), criando assim um colchão de ar que mantém a temperatura tanto do edifício como da praça mais amena (além, claro, do efeito visual “flutuante”). A utilização de espelhos d´água umidifica o ambiente compensando o clima seco da cidade de Santiago.
De forma integrada com a solução descrita acima a grelha externa (que tem uma bela composição com linhas diagonais) serve de apoio para a uma tela que faz o papel de “segunda pele”.
A tela controla a incidência de luz (fator importante para um museu), além de que o vão entre a tela e o fechamento de vidro leva o ar quente para cima, trazendo o ar mais frio e úmido da praça logo abaixo! E ainda tem mais; o material da tela remete à uma característica local muito forte, a mineração de cobre, tradicional e já uma marca do país.
A questão dos direitos humanos é um tema complicado, que exige um projeto de muita sensibilidade (tem gente que não gosta deste tipo de museu, e houve uma certa controvérsia quando anunciaram sua construção.. mesmo assim recomendo a visita à qualquer um).

Externamente o conjunto se relaciona com o espaço urbano, com a praça e o entorno. Mas internamente ele se relaciona com o tema, a aí está sua maior maestria; expor um passado opressivo sem ser opressivo em si.

 Não é permitido fotografar (ou não me foi) internamente no museu. Felizmente para o interesse arquitetônico do projeto, e para nossa sorte, existem os sites na internet com imagens e plantas do projeto. O site do próprio escritório dos autores tem belas imagens e desenhos deste projeto de arquitetura.
O projeto do museu foi elaborado junto com o “Centro Matucana”, que deve ser ainda construído para abrigar o Ministério da Educação do Chile. O museu foi construído para a comemoração do bicentenário do chile em 18 de setembro de 2010, e o centro deve ser a próxima fase. Aguardemos.

Semana passada o portal “plataforma arquitetura” postou um vídeo sobre o museu, o qual vale a pena dar uma olhada:
http://www.plataformaarquitectura.cl/2012/01/10/video-museo-de-la-memoria-estudio-america-por-cristobal-palma/

Outras referências:
http://concursosdeprojeto.org/2010/05/02/museu-memoria-chile/
http://www.piniweb.com.br/construcao/arquitetura/museu-da-memoria-do-brasileiro-estudio-america-e-inaugurado-no-159807-1.asp
http://www.metalica.com.br/museu-da-memoria-e-dos-direitos-humanos-do-chile/

Informações:

Museo de la Memoria y de los Derechos Humanos
Matucana 501, Metro Quinta Normal, Santiago – Chile
Fono: (562) 597 96 00
Email: [email protected]


Escrito por
More from Fabio Lanfer

Sesc Pompéia – Arq. Lina Bo Bardi

O Sesc Pompéia é um espaço de múltiplo uso, um equipamento urbano...
Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *