Fazendo a manutenção da piscina


 

A piscina é um item que exige alguma atenção para que se mantenha como um bom atrativo arquitetônico na casa (funcionalidade no seu uso, e estética na sua aparência e na da casa como um todo). Quer saber como fazer a manutenção de sua piscina e quais produtos usar? Leia o texto e descubra.

Fazendo a manutenção da piscina

Para manter a piscina adequada à saúde e ao bem estar dos usuários deve-se realizar tratamento químico e físico na água, assim se evita a transmissão de doenças infecciosas, como por exemplo: micose, conjuntivite, otite, febre tifóide, herpes, hepatite, etc;
além de evitar as larvas e os insetos como por exemplo o mosquito da dengue.
Ambos os tratamentos são simples, basta seguir algumas recomendações.
  • 1) Tratamento físico = remoção de sujeira, algas e partículas da água. É feito através da “redinha” (ou peneira), do skimmer que suga a água da superfície, e do filtro, que circula a água entre o ralo e os bicos de retorno (atenção com a manutenção do filtro).
  • 2) Tratamento químico = adição de cloro (principal desinfetante para a água) e manutenção do equilíbrio químico: alcalinidade, e pH.
Limpando a Piscina (1):
  • Varrer ao redor da piscina para evitar que a sujeira e folhas caiam na água. (Deve-se evitar plantar espécies de folhas pequenas próximas a piscinas, dará muito mais trabalho);
  • Tirar os materiais em suspensão na água utilizando a redinha;

(*este bichano da foto acima foi resgatado, lavado com água doce – pois o cloro pode até matá-lo – e devolvido ao habitat; o mangue de onde veio este exemplar gigante de carangueijo! Preserve os animais!)

  • Limpeza das bordas utilizando esponja e produto apropriado;

  • Filtrar a água por algumas horas, diariamente ou de acordo com a recomendação do fabricante; (Certifique-se que os equipamentos como filtro, areia, bomba e tubulações estejam funcionando corretamente para se tenha o resultado esperado)
Tratando a água (2):
  • Verificação de alcalinidade e pH de acordo com estojo de medidores. (é recomendada a verificação a cada dois dias)

  • A alcalinidade fora da faixa ideal dificulta o equilíbrio do pH, podendo causar danos a equipamentos, e também deixar a água turva. A faixa ideal é de 80 ppm a 120 ppm;

  • O pH fora da faixa ideal pode causar irritações na pele e nos olhos, cabelos ressecados, corrosão dos equipamentos e menor eficiência da cloração. A faixa ideal é entre 7,0 e 7,4;

  • É recomendada a cloração (elevação do teor de cloro) semanalmente. O cloro é o principal desinfetante e sanitizante da água, seu uso é obrigatório por Lei. O parâmetro ideal está entre 1 ppm e 3 ppm de cloro livre.

  • Outra opção para manter o nível de cloro é o clorador. Deixe-o boiando na água enquanto a piscina não estiver em uso. Uma pastilha dentro dele vai liberando o cloro aos poucos.

  • Outro produto que recomendo é o Algicida. Ele mata e previne o aparecimento de algas, precipitando aquelas que estavam em suspensão para serem aspiradas e filtradas. Deve ser utilizado antes do escovão (limpeza física), pois irá soltar as algas do fundo.

  • Tem também o clarificante. Como o nome diz, clarifica a água. Nada mal, não?

O custo mensal do tratamento de piscinas começa em aproximadamente R$ 60,00 variando de acordo com os produtos utilizados e a frequência de tratamento.
A regularidade na manutenção da piscina barateia o custo e facilita o processo.
Deixando-se acumular algas e microorganismos, além da proliferação de doenças, gasta-se mais com energia para filtragem (bombas) e com produtos químicos (quantidade) do que se mantiver a água limpa.
Além claro, do tempo gasto para tratar a piscina antes de usar enquanto as crianças já poderiam estar na água 😉
Outro fator importante relacionado à manutenção é o rejunte: as algas grudam no fundo e acaba-se danificando o rejunte do azulejo ou pastilha quando vai limpar.

Cuidado com o armazenamento e o manuseio dos produtos para tratamento da piscina!

  • Siga as indicações de segurança que constam do rótulo do produto.
  • Não exponha os produtos ao sol e à chuva, devemos armazená-los em local fechado, ventilado, livre de umidade e temperaturas extremas.
  • Mantenha os produtos fora do alcance de crianças e animais domésticos, e longe dos alimentos.
  • Misturar fórmulas diferentes pode ser perigoso, utilize um produto de cada vez.
  • Uma forma que facilita o trabalho é diluir o cloro em uma vasilha. Separe esta e uma pazinha destinada a isso!
  • O manuseio deve ser feito em ambiente aberto, com circulação de ar para evitar intoxicações, nunca por exemplo dentro da casa de máquinas.
  • Atenção com o descarte das embalagens; elimine os resíduos antes para não causar poluição ou acidentes!
Para Piscinas de vinil:
  • Nas Piscinas de vinil a falta de limpeza também reduz a vida útil, poderá criar lodo, o que irá manchá-lo. Nunca use material abrasivo na limpeza, principalmente na borda;
  • Manter a piscina constantemente com água no nível;
  • Não coloque cadeiras ou outros móveis dentro da piscina, a não ser os que se destinam a esse fim; objetos sólidos pesados ou pontiagudos danificam o vinil;
  • Utilize sempre acessórios (escovas, rodos, etc) próprios para piscinas de vinil;
  • A aspiração da piscina deve ser feita com o filtro na posição drenar;
  • Nunca utilize cloro em quantidade maior do que a recomendada e dilua antes de adicionar à água da piscina. (O cloro produz reações químicas na água, se for colocado diretamente em contato com partes vinílicas ou plásticas, causará danos ao material ou até mesmo seu derretimento);
  • Nunca esvazie a piscina (o que também não é necessário para limpeza);
  • Utilize capa de proteção, além de proteger contra acidentes, a capa também impede a descoloração do revestimento vinílico pelos raios solares; (para cobrir a piscina a água deve estar limpa e tratada. Quando coberta em períodos em não é utilizada, manterá a água limpa).
Portanto meus amigos, a dica está dada.
Bom banho de piscina à todos!

Escrito por
More from Fabio Lanfer

10 – Encontro pilares e vigas – Área de lazer

Após os novos cômodos da casa estarem cobertos, a obra seguiu para...
Leia mais

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *